Abrir Menu

Aprendizado de máquina e incorporação a Microsoft Azure

Por Ana Beatriz Ferreira

Ainda que em sua condição de tecnologia altamente refinada e precisa, o aprendizado de máquina (do termo Machine Learning, em inglês) surgiu há décadas como conceito de Inteligência Artificial, vindo de Ciência da Computação. Na contemporaneidade, basicamente, sua atribuição principal é permitir que o computador melhore seu desempenho em análise e estruturação de dados. Com isto em vista, Microsoft Azure, em seu caráter de plataforma em nuvem, tem aderido – e incentivado – a utilização deste recurso entre seus usuários, mas completamente adaptado para web.

O mecanismo, numa explicação simplificada, é interativo e opera por meio de algoritmos que praticamente automatizam a interpretação de um grande volume de informações, recebidas num curtíssimo período de tempo. A leitura, assim, é facilitada e, através de processos como estes, funciona também, como exemplo, a ferramenta Microsoft Social Listening ao filtrar dados de redes sociais para análise de reações dos seguidores à marca.

Em se tratando de Microsoft Azure e cloud computing, sua aplicação na nuvem se torna mais interessante a partir do momento em que utilizar aprendizado de máquina como software em PC demanda um grande espaço da memória e, consequentemente, pode prejudicar a velocidade de operação do mecanismo.

Como alternativa ideal às empresas que têm migrado para a nuvem, Azure oferece desde 2014 um Estúdio de Aprendizado de Máquina, que também apresenta recurso de compartilhamento de programação, de forma que mais de um programador da equipe possa auxiliar na elaboração das soluções. Com rápida atualização destas em web, a empresa tem liberdade para alterá-las de acordo com as metas profissionais estipuladas.

Em expansão, a incorporação de machine learning à plataforma em nuvem dá suporte a códigos R e Python e proporciona ao usuário a adição de ferramentas como Bing e Xbox ao funcionamento da combinação algorítmica que ele mesmo criará, em um programa de fácil utilização, acessível por meio de um simples browser.

Cada vez mais aprimorada através de procedimentos de personalização e adaptação às demandas de diversos setores e companhias, aprendizagem de máquina, em Microsoft Azure, é mais um exemplo de como a automatização, em tarefas complexas como análise de dados, possibilita que as equipes trabalhem com mais afinco e precisão de dados rumo a seus objetivos.