Abrir Menu

Lições de marketing para gerenciar o relacionamento com o cliente

Por Ana Beatriz Ferreira

Espera-se do profissional de marketing, num mercado que se mostra cada vez mais competitivo, um constante movimento de inovação, marcado por iniciativas autênticas, capazes de corresponder às demandas dos consumidores. Nas redes sociais, por exemplo, o acompanhamento diário das métricas e as expectativas por resultados são responsáveis por gerar uma verdadeira luta pela sobrevivência. Em assimilação de um conceito evolucionista, pode-se dizer que os mais bem adaptados ao meio prosperam.

Para tal adaptação, todavia, é necessário que algumas medidas sejam tomadas, de forma que haja uma aplicação correta das ações à Gestão de Relacionamento com o Cliente. Os aportes oferecidos por um software de CRM, neste caso, são variados.

Ao novo profissional de marketing – e aqui mais especificamente falando sobre marketing de relacionamento -, é viável planejar com mais eficiência o perfil do cliente que se busca atingir e, assim, emitir uma mensagem direcionada. As campanhas, com o auxílio da tecnologia, também se tornam menos complexas, substituídas por iniciativas de fôlego e elevada competitividade.

Com a técnica de pipeline de vendas, o departamento de marketing passa a compreender de forma mais profunda a interação de seus clientes. Passa, principalmente, a ter controle sobre os graus de qualificação de seus leads, os quais podem ser fidelizados num futuro não tão distante através de lead scoring. Em se tratando de tecnologia, por exemplo, fala-se sobre controle de retorno de investimento, business intelligence (BI) e acompanhamento de tendências.

De forma geral, o marketing, como diversas outras áreas de conhecimento, deverá se inovar no sentido da globalização, do capital intelectual, dos relacionamentos com skateholders e, naturalmente, da obtenção de resultados em menores períodos de tempo, que exigem mais das qualidades de planejamento e organização, sempre imprescindíveis.