Abrir Menu

Turismo corporativo e CRM

Por Ana Beatriz Ferreira

O termo “turismo”, para muita gente, se refere exclusivamente a um segmento do mercado que busca atender ao lazer da população. Em outras palavras, agências turísticas representam aquela imagem quase idílica dos locais aos quais famílias, casais e solteiros recorrem quando estão num momento de planejar as próximas férias.

Para muitos, todavia, o turismo vai além, intrinsecamente ligado ao trabalho. E além de forma literal, uma vez que o setor de turismo corporativo, no Brasil, se encontra em franca expansão. De acordo com dados da Associação Brasileira de Viagens Corporativas, a ABRACORP, em 2014 a área de viagens corporativas, entre os segmentos de aéreos, hotéis, locações (nacionais e internacionais), eventos e transfers registrou um aumento de 5,5% nas vendas do 1º semestre. Dados obtidos em comparação ao mesmo período de 2013.

Lidar com este gênero mais profissional de viagens, deste modo, pode representar uma alternativa de negócio bastante rentável. Para ser bem-sucedido, todavia, algumas ideias de uma boa Gestão de Relacionamento ao Cliente, mais uma vez, são aplicáveis.

Primeiramente, é imprescindível conhecer o perfil de seu cliente e saber aquilo que ele busca. Se este for um empresário, por exemplo, o tempo que possui disponível para deslocamentos efêmeros, ligados à resolução de trâmites burocráticos ou à decisão de melhores locais para se ficar, é mínimo. Cabe ao agente, assim, conhecer suas predileções para oferecer um serviço completo, passível de um pós-venda otimizado.

Além disso, preocupações com a qualidade dos hotéis e com o atendimento - sem informalidades, mas personalizado -, comuns a outros segmentos turísticos, devem estar sempre presentes no planejamento das atividades e da conduta da agência.

Pelo caráter comumente rápido das viagens corporativas, é essencial, acima de tudo, que se preze pela eficiência. Ainda que o serviço envolva apenas um voo e a estada de um dia na cidade de São Paulo, se for executado de forma adequada, a possibilidade de fidelizar aquele cliente, o qual precisará recorrer com frequência ao segmento, é muito mais garantida.